por Jonas Ribeiro

O cinema sempre foi grande ferramenta para abordar assuntos incômodos para a sociedade, despertar a curiosidade e iniciar um debate sobre temas atuais. É inegável a sua importância enquanto produto que consegue aliar o entretenimento com mensagens de caráter educador de maneira simples. O fascínio gerado pelo cinema o torna a maneira mais simples e acessível para discutir questões fundamentais do nosso período histórico. As dicas de produtos audiovisuais que apresento aqui, se dá, unicamente, pelas excelentes reflexões propostas por eles. Aproveitem e reflitam também!

A 13° Emenda (Netflix) *****

Após a guerra civil norte-americana (1861-1865), iniciou-se uma grande reestruturação política e social nos EUA que foi chamada de “Reconstrução”. Entre muitos acontecimentos, estão as emendas constitucionais que foram adotadas a fim de modernizar socialmente o país e integrar os negros recém libertos à sociedade americana. O documentário “A 13° Emenda” mostra esse processo, a resistência de uma parcela mais conservadora da população americana e as consequências disso para a sociedade negra e pobre do país que perduram até os dias de hoje.

Estou me guardando para quando o carnaval chegar (Netflix) ****

Depois de alguns anos, um homem decide voltar à região onde cresceu no interior de Pernambuco e documentar as mudanças que passou o lugar. Para sua surpresa, o lugar se tornou referência na produção de jeans e isso modificou todo o ritmo e o modo de vida da classe trabalhadora da região, que alterna grandes jornadas de trabalho repetitivo com reflexões sobre seu modo de vida e a espera de um feriado que parece ser a libertação, ou pelo menos uma pausa, de uma vida extenuante, o carnaval.

Indústria Americana (Netflix) *****

Numa região dos EUA onde uma grande fábrica da GM foi fechada, trabalhadores retomam a esperança e muitos deles, o emprego, com a chegada de uma empresa chinesa fabricante de vidros para carros. Apesar de retomarem seus empregos, os moradores e trabalhadores da região têm agora que lidar com o desafio cultural, salários menores e um ritmo de trabalho mais pesado ao que estavam acostumados. Mais um documentário que aborda assuntos bem interessantes sobre o trabalho, e além disso, refletimos sobre o mundo integrado e o avanço da economia chinesa pelos países do ocidente.

Até o fim: a luta pela democracia (Prime Video) ****

Assim como “A 13° emenda”, esse documentário aborda algumas consequências da escravidão americana para a população negra e pobre do país, acrescenta à discussão a questão da supressão do voto dessa camada e como isso afeta a democracia americana, que, para muitos, ainda é um modelo a ser seguido. Intelectuais e políticos discutem as políticas de supressão do voto da população que marcaram as décadas seguintes, reverberam até hoje e que serviram para marginalizar uma parte da população americana. Desse ponto de vista, percebemos que a luta pela democracia americana nunca foi plena e a luta por esse modelo é uma luta constante.

Você não estava aqui (Telecine) ****

O termo uberização do trabalho¹ está cada vez mais inserido nas discussões sobre as novas relações de trabalho que permeiam a vida moderna e as novas tecnologias. Ele faz referência ao aplicativo Uber que sintetiza os novos tempos e essas relações onde não há vínculo empregatício, direitos trabalhistas e ainda se vende o disparate de trabalho autônomo, de liberdade financeira. É sobre isso que trata esse filme de Ken Loach. Um chefe de família se rende à ideia de ser o seu próprio patrão e para isso acumula divídas e horas de trabalho onde a única coisa que importa é respeitar as decisões de um chamado “algoritmo”. Enquanto isso, se depara com problemas com seus filhos e esposa dos quais não tem tempo de resolver.

¹ Para saber mais sobre uberização do trabalho sugiro o artigo “Uberização: a precarização do trabalho no capitalismo contemporâneo” da colaboradora do “Base Política” Silvia Pinheiro (et al, 2020) neste link: https://revista.uemg.br/index.php/serv-soc-debate/article/view/3923