Passamos alguns dias pensando qual seria o assunto que nortearia o blog. É bem verdade que tínhamos incontáveis opções (literatura, cinema, comunicação…) todas elas de grande interesse, não só nosso, mas possivelmente de futuros leitores. Entretanto, um pequeno fato que contarei mais adiante decretou o assunto que abordaremos majoritariamente neste espaço, digo isso porque, tentaremos abordar a política – entregando aqui o que o nome do blog já revela – como figura relacionada a outros temas. Outro dia, um colega de trabalho (estudante universitário do ensino privado) me confessou que detesta política. Ele, como muitos outros brasileiros, acham a política basicamente tediosa. Me opus e o lembrei que a política brasileira atual era tudo, menos tediosa. Pronto. Estava quase escolhida nossa área de atuação. Quase, porque faltava apenas discutir o tema entre nós. Pesquisa feita pelo DataSenado de 2013, período de grande turbulência política, ano de grandes manifestações no Brasil, revela uma tendência no aumento do interesse do brasileiro pela política do país. De acordo com os dados obtidos, 49,8% brasileiros avaliavam seu interesse na política como médio, número esse que já apresentava uma ascensão em relação a outros meses desta mesma pesquisa, o que revela a tendência de crescimento que já mencionamos. Mas, em 2018, perto das eleições presidenciais, uma das mais importantes do país nos últimos vinte anos, o interesse dos brasileiros sofreu uma queda, conforme aponta a pesquisa do Ibope desse mesmo ano. 61% dos entrevistados afirmaram ter pouco ou nenhum interesse pelas eleições daquele ano. Por que a política como conhecemos não nos interessa? Qual a importância dela pra nossa vida prática? Como podemos participar efetivamente de um processo histórico em que coloca a política cotidiana como um agente transformador de uma sociedade ainda desigual? Como podemos fazer com que a política – concordando com a sua importância – seja mais discutida e menos chata. É o que sugerimos, sem muita pretensão, neste espaço a partir de agora, fazer com que ela esteja mais presente na vida dos que se propõem a refletir.